Central de Marcação: (71) 3409-8000
43 anos da presença do Monte Tabor na Bahia

43 anos da presença do Monte Tabor na Bahia

Colaboradores, pacientes, familiares e visitantes participaram da celebração, que aconteceu na Capela São Rafael | Foto: Divulgação – Ascom HSR

Você sabe qual o significado de Monte Tabor e qual a relação deste nome com a Festa da Transfiguração do Senhor? O Tabor é uma grande montanha localizada na Galileia, Região Norte de Israel, onde aconteceu a Transfiguração do Senhor, local onde Jesus Cristo foi transfigurado diante de três de seus discípulos. E foi justamente por ter em mente, a ideia de uma assistência transfigurada, integral, voltada ao corpo, à mente e ao espírito, que D. Luigi Verzé, professor e sacerdote italiano, em 1974, escolheu Monte Tabor para dar nome à instituição que mudaria a história da Medicina na Bahia.

Para comemorar esta data, 6 de agosto, tão importante para o calendário litúrgico e, também para o Hospital São Rafael, foi realizada uma missa em ação de graças pela Festa da Transfiguração do Senhor e pelo aniversário de 43 anos do Monte Tabor – Centro Ítalo-Brasileiro de Promoção Sanitária. A celebração, que aconteceu no último dia 7 de agosto, na Capela São Rafael (área externa), foi presidida pelo Bispo Auxiliar de São Salvador da Bahia, Dom Gilson Andrade da Silva e concelebrada pelo Capelão do Hospital São Rafael, Padre Bento Viana, e pelo Padre Ricardo Henrique.

Assim como acontece todos os anos, colaboradores, pacientes, familiares e visitantes marcaram presença e participaram da celebração. Na ocasião, Padre Bento falou sobre a importância da Festa da Transfiguração do Senhor para a Igreja e para o Hospital São Rafael. “O Monte Tabor é o lugar onde Jesus se transfigurou e D. Luigi tinha no coração essa intuição clara da transfiguração da Medicina, que é precisamente esse jeito diferenciado, novo, humano de se realizar a Medicina no seu sentido mais amplo”, destacou o capelão, que fez questão ainda de lembrar que a data marca também os 35 anos da consagração de Dra. Liliana Ronzoni, diretora médica do HSR, como membro da Associação Sigilli.

Durante a homilia, Dom Gilson Andrade falou sobre o verdadeiro significado da transfiguração. “Normalmente, a gente pensa na transfiguração como uma mudança e nós vivemos num tempo ávido de mudanças. Desejamos mudanças sociais, políticas, econômicas. Eu creio que cada um pessoalmente deseja tantas mudanças e talvez nós nos decepcionemos porque parece que as coisas não mudam, nós sempre estamos querendo mudança, mas a mudança não chega. E aqui está a grande novidade que Jesus nos oferece. A transfiguração é mais do que mudança. Talvez nós não possamos realizar grandes mudanças, mas nós podemos sim, Deus pode sim transfigurar as coisas”, disse Dom Gilson.

Ao final da celebração, Laura Ziller, presidente do Monte Tabor, agradeceu aos presentes e estendeu a sua gratidão a todos os colaboradores que contribuíram e ainda contribuem para a manutenção da obra. “O nome Monte Tabor nos faz refletir a cada dia sobre o valor da pessoa, imagem de Jesus-Deus-Sofredor, que encontramos nos momentos mais humanos, de sofrimento e com dedicação operamos para realizar o mandato do Evangelho, Ide, Ensinai e Curai, para transformar a Medicina em arte sagrada, porque a vida é sagrada”, destacou a presidente, que momentos antes de finalizar a sua fala, fez questão de ressaltar não apenas a atuação do Hospital São Rafael, mas também das outras unidades mantidas pelo Monte Tabor. “Todos se dedicam a uma assistência sempre mais resolutiva e próxima da pessoa, na sua unicidade de corpo, psíque e espírito e com persistência, vencendo os desafios dos tempos complexos para perenizar essa Obra de Deus”, destacou.

Análise de amostras de sangue em tempo real

Análise de amostras de sangue em tempo real

O Tromboelastograma fica no Laboratório de Análises Clínicas do Hospital São Rafael, no bairro de São Marcos | Foto: Divulgação – Ascom HSR

 

Pode parecer clichê, mas não é! O Hospital São Rafael (HSR) busca estar sempre à frente quando o assunto é tecnologia e inovação.
O primeiro Tromboelastograma da Bahia – equipamento que analisa o sangue em tempo real, visando à imediata reposição de fatores de coagulação, detectando e agilizando a necessidade de ação da equipe em casos de sangramentos cirúrgicos –, foi adquirido pelo HSR, o que confirma o título de hospital pioneiro do Estado. Por meio desse equipamento, é realizado um exame intraoperatório que auxilia cirurgiões e anestesistas no diagnóstico preciso, em tempo real, norteia a terapia mais adequada para sanar o problema e evita transfusões sem critério, pois o uso desse procedimento de forma aleatória pode gerar potenciais prejuízos ao paciente, como inflamações, disfunções renais e pulmonares e riscos de infecções.
O Tromboelastograma fica no Laboratório de Análises Clínicas do hospital. Quando o exame é realizado, a equipe médica recebe em tempo real, no painel do centro cirúrgico, o espelho do resultado, com gráficos que apontam quantitativo ou deficiência de plaquetas, hemácias, plasma, vitaminas, dentre outras substâncias no paciente.
O equipamento e os resultados obtidos em outros centros hospitalares foram apresentados para enfermeiros, médicos e profissionais do Laboratório do HSR, além de parceiros do São Rafael, no início do mês de julho, pelo anestesista do CET Sianest Florianópolis, Luiz Henrique Yamauchi, que atuou com o aparelho no Albert Einstein. Na ocasião, o palestrante explicou a importância do trabalho guiado e integrado da equipe médica para o diagnóstico e a aplicação da terapia mais adequada para o paciente. “A principal resposta que o exame dará ao médico é o motivo de o paciente estar sangrando, pois se ele não tem essa resposta, não há como fazer o diagnóstico e tratamento preciso. E se não há como medir, não tem como controlar, nem melhorar o quadro dele, já que as causas para a má coagulação podem ser inúmeras”, esclareceu.

Ação educativa sobre Hepatites Virais movimenta o HSR

Ação educativa sobre Hepatites Virais movimenta o HSR

Durante a ação, foram realizados 100 testes rápidos de detecção da Hepatite C | Foto: Ascom – HSR

Em alusão ao Dia Mundial contra as Hepatites Virais, o Serviço de Hepatologia do HSR, em parceria com o Grupo Vontade de Viver, promoveu, na tarde do dia 28 de julho, uma ação educativa na recepção principal do São Rafael. Além de alertar o público sobre os tipos da doença, meios de transmissão, prevenção e o diagnóstico precoce – o que ajuda a minimizar os malefícios da doença, independente da forma de contaminação –, a atividade realizou 100 testes rápidos de detecção da Hepatite C. Destes, nenhum positivo! “A transmissão do vírus da Hepatite C ocorre, principalmente, através de sangue contaminado.

É válido ressaltar que, de um modo geral, todo material partilhado, não devidamente esterilizado, pode ser um veículo de transmissão do vírus, incluindo lâmina de barbear, alicates, piercing, agulha para tatuagem, acupuntura, entre outros. A Hepatite C não se dissemina pela saliva, nem através dos alimentos”, esclarece Dr. André Lyra, médico hepatologista do HSR.

O Dia Mundial contra as Hepatites Virais também foi destaque na mídia local. Dr. André Lyra concedeu entrevistas para o canal CNT, para o quadro Alô Doutor, da TV Bandeirantes, e para Rádio Band News FM.