Central de Marcação: (71) 3409-8000
Os benefícios da fisioterapia para os pacientes em hemodiálise

Os benefícios da fisioterapia para os pacientes em hemodiálise

A fisioterapia durante as sessões de diálise contribui com prevenção de lesões - Foto: Divulgação | Ascom - HSR

A fisioterapia durante as sessões de diálise contribui com prevenção de lesões – Foto: Divulgação | Ascom – HSR

Melhorar a qualidade de vida dos pacientes é o objetivo principal de um programa pioneiro desenvolvido no Hospital São Rafael (HSR), a fisioterapia durante as sessões de hemodiálise. A atividade, iniciada em 2012, surgiu a partir de um projeto de pesquisa desenvolvido como trabalho de conclusão de curso das estudantes de Fisoterapia da Universidade Católica do Salvador, Fernanda Agnys e Clarissa Rios, ambas estagiárias do HSR.

A fisioterapia durante as sessões de hemodiálise tem como proposta colocar em prática um programa de alongamentos e exercícios resistidos, durante o tratamento hemodialítico, quando o movimento torna-se mais difícil, contribuindo, desta forma, com o sedentarismo. Além da atividade prática, o paciente recebe orientações de exercícios e atitudes que devem adotar para ajudar e acelerar seu tratamento.

A falta de exercícios e alongamentos está relacionada com encurtamentos musculares, que muitas vezes geram dores na região dos ombros, na coluna cervical, na coluna lombar, nas pernas e em várias outras partes do corpo. É importante que as pessoas, sedentárias ou não, realizem pausas no decorrer do dia para realizar alongamentos musculares. Essa prática é fundamental para evitar diversas doenças musculares e articulares, e para a melhora da qualidade de vida.

Os alongamentos são exercícios que contribuem para melhorar a flexibilidade corporal, por promover estiramentos das fibras musculares que resultam no aumento do comprimento muscular. A fisioterapia com os alongamentos, durante as sessões de diálise, pode contribuir com a prevenção de lesões musculares, melhora da consciência corporal, diminuição do estresse e das tensões musculares obtidas no decorrer do dia, sensação de bem-estar, melhora da circulação sanguínea, auxílio no bom alinhamento postural e até no preparo do organismo para realizar outros tipos de atividades físicas.

Estes exercícios devem ser feitos de forma lenta e cautelosa, haja vista que um alongamento inadequado pode resultar em lesões. Durante o exercício, devem ser realizadas respirações lentas e profundas para auxiliar no relaxamento e melhor oxigenação dos tecidos. Também é necessário respeitar o limite do estiramento ou tensão para evitar danos ao músculo. Ademais, é fundamental respeitar a duração de cada procedimento, em média, cada alongamento deve ser mantido por cerca de 20 a 40 segundos. Para mais informações sobre como realizar alongamentos, fale com seu fisioterapeuta durante seu atendimento.

Dia de celebrar e agradecer pela nova Unidade de Emergência Adulto

Dia de celebrar e agradecer pela nova Unidade de Emergência Adulto

 Foto: Divulgação | Ascom - HSR

Colaboradores que trabalharam na nova Unidade de Emergência Adulto do HSR comemoraram a conclusão da obra.

Ontem, 31 de agosto, o dia amanheceu com gostinho de celebração para todos os que contribuíram para concretizar o sonho de reforma e ampliação da Unidade de Emergência Adulto. Foram vários meses de incansável trabalho em equipe e o esforço dos rafaelinos foi merecidamente reconhecido num café da manhã oferecido pela diretoria às equipes envolvidas, em especial a de Manutenção, que conduziu um trabalho impecável utilizando todo o potencial da prata da casa, que nada deixou a dever às mais competentes empresas do ramo, porque, do teto ao piso, passando pelas lindas portas de madeira, tudo foi feito pelos talentosos profissionais da casa, contando com o apoio dos demais setores envolvidos na complexa logística, a exemplo da área de Compras.

 

Foto: Divulgação | Ascom - HSR

Trabalhadores de diversas áreas da Gerência de Manutenção mostraram-se orgulhosos pela entrega da nova emergência.

Foto: Divulgação | Ascom - HSR

Antonio Ferreira, o querido Mestre Antonio, ao lado de Laura Ziller, presidente do Monte Tabor, não escondeu a alegria ao entregar mais uma de tantas obras, em mais de 40 anos de dedicação à instituição.

Foto: Divulgação | Ascom - HSR

Os gerentes Francisco Feitosa e Jorge Cardoso, ao lado de Mestre Antônio e do engenheiro Rui Santana.

A satisfação de todos era aparente nos sorrisos, abraços e também nos discursos, da presidente Laura Ziller, do diretor geral Alfredo Martini, do diretor Administrativo Marcello Ceotto, da gerente de Enfermagem Lúcia Ferreira, do coordenador da Emergência Peter Jacobs e do gerente de Manutenção Francisco Feitosa. Dona Laura fez questão de agradecer o comprometimento e empenho dos rafaelinos, gesto corroborado por Alfredo Martini e por Ceotto. Dr. Peter, visivelmente emocionado, confessou estar concretizando um sonho e agradeceu a todos, na pessoa de Antonio Ferreira, o querido Mestre Antonio. Dona Lúcia engrossou o coro de agradecimentos, em especial à equipe da Geman e levou todos às risadas ao garantir que novos e maiores desafios virão em breve. Francisco Feitosa enalteceu o trabalho incansável de sua equipe, elogiando o espírito de união e colaboração, que deu a tônica nesse trabalho, considerado por ele um dos mais desafiadores de sua carreira profissional, e agradeceu a Marcello Ceotto por sua liderança decisiva na condução do projeto, bem como ao colega Jorge Cardoso pelo apoio e companheirismo constantes. Finalizando, Padre Bento Viana confidenciou aos presentes considerar esta obra como um verdadeiro milagre e um privilégio a todos os rafaelinos, por serem capazes de tão importante conquista, mesmo nesses tempos desafiadores, no contexto econômico mundial e também local, fazendo menção a D. Luigi pelo apreço que tinha aos rafaelinos e sua capacidade empreendedora. Ele conduziu uma oração de agradecimento, após a qual os presentes puderam desfrutar do merecido café da manhã de confraternização, regado a muitos abraços, risadas e poses para fotos.
A nova UEA entrará em operação a partir desta segunda-feira, 04 de setembro, com uma série de melhorias estruturais e de fluxo de funcionamento, oferecendo aos colaboradores e pacientes o que há de mais moderno e acolhedor, em serviços de urgência e emergência.

Hospital São Rafael é recertificado na prevenção de TEV

Hospital São Rafael é recertificado na prevenção de TEV

Avaliadores do IQG estiveram no HSR na última terça-feira (29), quando confirmaram a recertificação da instituição.         Foto: Divulgação | Ascom – HSR

Maturidade institucional. Foi com essa percepção que os avaliadores do Instituto Qualisa de Gestão (IQG) concluíram a visita de recertificação por distinção do Protocolo de Tromboembolismo Venoso (TEV) do HSR. Assim, a linha de cuidado para TEV foi recertificada por mais dois anos, mantendo o São Rafael no lugar de único hospital do Norte e Nordeste a possuir esta certificação.

A visita, realizada na última terça-feira (29/08), se estendeu ao longo do dia. Na ocasião, os avaliadores do IQG conversaram com a diretoria e visitaram unidades clínicas e cirúrgicas para avaliar os protocolos aplicados pelos profissionais. De acordo com Jacqueline Canuto, gerente de Qualidade e Segurança, eles concluíram que o São Rafael cumpriu 100% com todas as oportunidades de melhorias sinalizadas na visita de manutenção. “Esse resultado é fruto de um trabalho em equipe. A visita foi leve e surpreendente. O Time de TEV trabalhou em cima do relatório com muita propriedade e, sem dúvida, isso fez a diferença”, destacou Jacqueline. Além disso, o IQG concluiu que o HSR segue todas as medidas internacionais para a prevenção da doença, com um fluxo rigoroso, dentro dos melhores protocolos de segurança, desde a chegada do paciente até a sua alta. “A instituição está muito consciente da segurança da assistência e madura no entendimento da cultura de segurança, algo capaz de ser percebido desde a alta gestão até a operação”, pontuou Viviane Veiga, avaliadora líder do IQG. Quem acompanhou a visita e quem foi auditado também garantiu que foi tudo muito tranquilo. “Foi uma demonstração da consolidação do nosso protocolo na prevenção da TEV e o amadurecimento de toda equipe multidisciplinar, que vem se empenhando para prestar uma assistência mais segura e qualificada aos nossos pacientes. Sem dúvidas, o que mais marcou foi saber que todos os pacientes tinham conhecimento do nosso protocolo e de todos os riscos envolvidos dentro deste processo assistencial, inclusive isso foi constatado pela avaliadora do IQG, que conversou com uma paciente na unidade 1F”, declarou José Nilton Carneiro, coordenador de Enfermagem.