Central de Marcação: (71) 3409-8000

Avaliadores do IQG estiveram no HSR na última terça-feira (29), quando confirmaram a recertificação da instituição.         Foto: Divulgação | Ascom – HSR

Maturidade institucional. Foi com essa percepção que os avaliadores do Instituto Qualisa de Gestão (IQG) concluíram a visita de recertificação por distinção do Protocolo de Tromboembolismo Venoso (TEV) do HSR. Assim, a linha de cuidado para TEV foi recertificada por mais dois anos, mantendo o São Rafael no lugar de único hospital do Norte e Nordeste a possuir esta certificação.

A visita, realizada na última terça-feira (29/08), se estendeu ao longo do dia. Na ocasião, os avaliadores do IQG conversaram com a diretoria e visitaram unidades clínicas e cirúrgicas para avaliar os protocolos aplicados pelos profissionais. De acordo com Jacqueline Canuto, gerente de Qualidade e Segurança, eles concluíram que o São Rafael cumpriu 100% com todas as oportunidades de melhorias sinalizadas na visita de manutenção. “Esse resultado é fruto de um trabalho em equipe. A visita foi leve e surpreendente. O Time de TEV trabalhou em cima do relatório com muita propriedade e, sem dúvida, isso fez a diferença”, destacou Jacqueline. Além disso, o IQG concluiu que o HSR segue todas as medidas internacionais para a prevenção da doença, com um fluxo rigoroso, dentro dos melhores protocolos de segurança, desde a chegada do paciente até a sua alta. “A instituição está muito consciente da segurança da assistência e madura no entendimento da cultura de segurança, algo capaz de ser percebido desde a alta gestão até a operação”, pontuou Viviane Veiga, avaliadora líder do IQG. Quem acompanhou a visita e quem foi auditado também garantiu que foi tudo muito tranquilo. “Foi uma demonstração da consolidação do nosso protocolo na prevenção da TEV e o amadurecimento de toda equipe multidisciplinar, que vem se empenhando para prestar uma assistência mais segura e qualificada aos nossos pacientes. Sem dúvidas, o que mais marcou foi saber que todos os pacientes tinham conhecimento do nosso protocolo e de todos os riscos envolvidos dentro deste processo assistencial, inclusive isso foi constatado pela avaliadora do IQG, que conversou com uma paciente na unidade 1F”, declarou José Nilton Carneiro, coordenador de Enfermagem.