O Banco de Sangue espera por você

O Banco de Sangue espera por você

Zan Reis, analista de informação e negócios, é doador voluntário regular | Foto: Divulgação Ascom – HSR

O ano novo já está aí e a percepção geral é de que os dias estão passando cada vez mais rápidos. E os planos feitos no fim do ano velho, entre eles, aquele de ajudar ao próximo? Você já começou a agir? Caso não, convidamos você a começar com um gesto simples: a doação de sangue e plaquetas.

Com apenas 15 minutinhos do seu dia você ajuda a salvar a vida de várias pessoas. Por isso, não deixe para depois. O Banco de Sangue do HSR precisa da sua colaboração para continuar salvando vidas, principalmente nos períodos festivos, e o carnaval já se aproxima. Então, garanta sua presença no bloco da solidariedade. Vá ao Banco de Sangue do São Rafael e faça a sua doação. Ah, convide os colegas, familiares, todo mundo, e, se conhecer alguém do grupo de fator RH negativo, ainda melhor! Atualmente, os tipos sanguíneos B-, AB- e O- estão abaixo do estoque desejado, por isso precisamos da sua atenção.

Para doar, é necessário estar em boas condições físicas e de saúde, ter entre 18 e 67 anos e peso superior a 50 kg, não estar em jejum e não ter ingerido alimentação gordurosa nas últimas quatro horas que antecedem a doação, não ter antecedentes de gripe, febre ou diarreias nas últimas duas semanas, hepatite após os 11 anos de idade (exceto hepatite A), entre outras orientações que podem ser consultadas no portal www.portalhsr.com.br/banco-de-sangue.

Sua Saúde: Desacelerar – este é o convite!

Sua Saúde: Desacelerar – este é o convite!

Foto: Divulgação Ascom – HSR

 

O início do ano é o momento da esperança em um novo ciclo e de novas oportunidades! Nesse instante, nada melhor que desacelerar e desenvolver a capacidade de aproveitar a caminhada e os momentos nos seus detalhes mais singelos.

Moramos em uma cidade que nos presenteia, diariamente, com belas paisagens, praias maravilhosas, parques naturais, lindas plantas e flores e dias ensolarados, que terminam com esplêndidos pores do sol, seguidos por noites estreladas. Você já prestou atenção em como está o dia hoje? Observou como estão as pessoas  ao seu redor e por onde passou? Observou a si mesmo, suas emoções, seus sentimentos e suas necessidades?

Com a vida cada vez mais corrida, perdemos a capacidade de observar o caminho, o tempo, e também como estamos nos sentindo. Contemplar mais, respirar calmamente e fortalecer o hábito de  agradecer são atitudes que estão sendo abordadas nos dias atuais e usadas como estratégias de enfrentamento na nossa rotina diária. O mindfulness surge nesse novo contexto, em que se faz necessário desacelerar. Inovadora, e diria até audaciosa, essa técnica tem despertado adeptos em todo o mundo, sendo considerada, inclusive, como capaz de melhorar a habilidade de concentração dos seus praticantes, por meio da capacidade de prestar atenção no momento presente e toda a sensação que esse movimento desperta interna e externamente; tomar consciência plena do que está sendo experienciado, sem julgamentos ou desejo de mudar, simplesmente contemplar. Se você até o momento nunca ouviu falar sobre essa técnica, fica o convite para conhecer e experimentar um pouco mais. Acesse o link https://youtu.be/Lby7ynMBZ68 e quem sabe, construa o seu ano melhor.

Um exemplo de cordialidade, de presteza, de acolhimento

Um exemplo de cordialidade, de presteza, de acolhimento

Alex Fiais durante o evento de encerramento do Programa Acolha Bem no Hospital São Rafael | Foto: Divulgação Ascom – HSR

Se 2017 foi o ano do Programa Acolha Bem, nada como ter no primeiro Infomail de 2018, na coluna Ser Rafaelino, um exemplo de acolhimento. E para ilustrar bem, mais uma bela história, ou melhor, várias histórias, apresentamos-lhe Alex de Freitas Fiais, vigilante lotado na Segurança Patrimonial do Hospital São Rafael.

Bastaram poucos minutos de conversa e algumas características fundamentais para quem trabalha diretamente com pessoas ficaram logo evidentes. Nenhuma novidade, pois a presteza e a cordialidade de Alex já são conhecidas por colegas, pacientes, visitantes e outras pessoas que frequentam o HSR.

 

A Portaria Principal é um dos postos de trabalho de Alex | Foto: Divulgação Ascom – HSR

A história desse homem de 48 anos, casado e pai de dois filhos, começou a ser construída em 1998, quando resolveu fazer o curso de formação de vigilantes. Ele já trabalhou como auxiliar administrativo e, também, na área da indústria. Ficou quase dois anos desempregado e chegou a ir para o Rio de Janeiro em busca de novas oportunidades de emprego, mas resolveu retornar à Bahia, onde conseguiu uma vaga como vigilante, que mantém até hoje. Como nesta empresa ele tinha pouco contato com o público, continuou com um sonho antigo, trabalhar na sua área de formação, mas com outro tipo de atuação.  Foi então que apareceu o HSR em sua vida. “Eu gosto dessa coisa de lidar com as pessoas e vinha almejando, há muito tempo, trabalhar diretamente com o público, o que eu não fazia no outro emprego, pois o perfil era completamente diferente do daqui. Quando eu vim para o São Rafael, eu me encontrei”, disse Alex com um olhar que transbordava satisfação com o papel que desempenha no hospital: “Eu dou a minha contribuição, trato bem as pessoas, dou um bom atendimento, as informações que necessitam, um aperto de mão, uma palavra de conforto, tudo sem perder o profissionalismo, pois precisamos mostrar que o hospital precisa funcionar e que tem normas a serem respeitadas”, destacou.

Para Alex, o profissional que trabalha no atendimento direto ao público precisa estar sempre atento e ter um olhar diferenciado. “A gente convive diariamente com os pacientes da Hemodiálise e da Radioterapia, e a gente já sabe quais são as necessidades deles e quando eles precisam de algo diferente, a gente percebe. Esse é o nosso papel”, comentou.

 

O sorriso sempre o acompanha durante o atendimento ao público | Foto: Divulgação Ascom – HSR

O vigilante é o primeiro contato de uma pessoa que busca assistência hospitalar, sobretudo, quando o seu posto de trabalho é a portaria principal. E foi justamente neste local que Alex vivenciou duas das muitas histórias nesses quase oito anos de HSR. A primeira delas foi durante o dia, logo após o almoço, quando ele visualizou uma mulher desesperada, aos gritos, pedindo por socorro e tentando carregar o filho de aproximadamente 10 anos de idade e deficiente físico. Ele correu até o local, a poucos metros da portaria, e percebeu que a situação do garoto era grave. Alex, não pensou duas vezes, avisou aos colegas e levou a criança, carregada nos braços, para a Unidade de Emergência Pediátrica. O paciente chegou a ser transferido para a UTI Pediátrica, o que confirmava a gravidade do caso, mas, posteriormente, a sua avó voltou ao hospital e informou a Alex que a criança estava bem.

Outra história que marcou a vida de Alex foi a de um bebê de apenas oito meses de idade. “Não me lembro ao certo, mas era entre uma e duas horas da manhã, quando percebi uma mulher, do outro lado da rua, próximo à sinaleira, descendo de um carro. De repente ela começou a gritar. Num primeiro momento, pensei que tivesse sido um assalto, mas como ela estava com uma criança, me aproximei e percebi que o bebê estava desacordado e todo roxo”, contou o vigilante. Percebendo a gravidade da situação, ele tomou a criança da mãe, a colocou na palma de sua mão, de barriga para baixo, e começou a realizar manobras de primeiros socorros, aprendidas no curso de brigadista do HSR.  Sem resultado, pois a criança continuava desacordada, Alex não desistiu, até que a criança reagiu e foi encaminhada por ele à Unidade de Emergência Pediátrica. Depois de algum tempo, a criança retornou ao HSR, para realização de consulta e a sua mãe procurou Alex para agradecer.  “Essa é a melhor recompensa. Eu me sinto com o sentimento de dever cumprido”, pontuou o vigilante, que conta essas histórias com muito orgulho, pois ele sabe que o seu atendimento fez a diferença para esses dois pacientes, para essas duas mães, para essas duas famílias. Por isso, ele está aqui, estampando essa editoria do nosso Infomail, como um verdadeiro Rafaelino. Parabéns, Alex!!!!

Comentários no Facebook viram música em ação realizada pelo HSR

Comentários no Facebook viram música em ação realizada pelo HSR

A ação contou com a participação do Grupo Itinerante Musical (GIM) do HSR, formado por colaboradores do hospital | Foto: Divulgação Ascom – HSR

“Agradecer a Deus, por tantas realizações, são vários testemunhos, são muitos corações. Gratidão pela vida, por cada amanhecer, família, amigos, trabalho, saúde para dar e vender”.  Agradecer por algo que foi conquistado. Pode ser uma casa, um carro, um emprego, a cura de uma doença, um novo amigo, o nascimento de um filho, uma nova experiência ou qualquer outra graça alcançada. O sentimento de gratidão aflora sempre aos finais de ano, geralmente quando se aproximam o Natal e o Réveillon. E foi justamente nesse período, que esse sentimento foi demonstrado pelos seguidores do HSR nas mídias sociais, por meio de uma ação realizada em nossa página no Facebook e perfil no Instagram, para estimulá-los a deixarem comentários com um motivo de gratidão pelo ano de 2017. E o resultado foi fantástico! Foram muitas histórias contadas nas quase 100 mensagens enviadas, que serviram de inspiração para o maestro Carlos Bernas compor a música “Notas de Gratidão”, interpretada pelo Grupo Itinerante Musical (GIM) do HSR.

 

Os bastidores da gravação do vídeo, na área verde do Hospital São Rafael  | Foto: Divulgação Ascom – HSR

As “Notas de Gratidão” não viraram apenas uma música. As mensagens de agradecimento cantadas pelos colaboradores do HSR, acompanhadas pelo maestro, por pacientes, familiares e visitantes, também deram origem a um vídeo, que foi publicado nas mídias sociais do HSR , alcançando mais de 86 mil pessoas apenas no Facebook.  “Lindo!!! Parabéns maestro, parabéns coral e parabéns ao HSR. Gratidão sempre…”, comentou uma das seguidoras.  Outra respondeu dizendo: “Ficou muito lindo o coral”. E os elogios não paravam: “Parabéns a toda equipe do HSR!!! Linda mensagem!!! Feliz Ano Novo para todos!!!”,  “Amei!! Linda mensagem! Linda Canção…”, “Muito bom!! Mensagem fantástica!! Parabéns a todos do HSR que sempre nos recebem muito bem. Só agradecimento a vocês.”

O sucesso do vídeo na Internet foi traduzido nas mais de mil e quatrocentas interações (Curtir, Amei, Uau, Ahah), nos quase 200 compartilhamentos e nas cerca de 34 mil visualizações no Facebook, além do engajamento realizado no Instagram. Quer dar uma conferida? Vá lá na nossa página no facebook/saorafaelbahia ou em nosso perfil no Instagram, @saorafaelbahia e assista ao resultado de um trabalho que traduziu em palavras as emoções de muitos corações.