Central de Marcação: (71) 3409-8000

Dr. Bruno Solano – Coordenador médico do CBTC Foto: Divulgação | Ascom – HSR

CBTC do HSR é destaque em periódico americano.

Estatísticas da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam a existência de aproximadamente sete milhões de indivíduos infectados no mundo pelo parasita (Trypanosoma cruzi) que causa a Doença de Chagas, a maioria na América latina. 20 a 30% dos indivíduos infectados desenvolvem uma forma grave da doença, que afeta o coração e pode levar à morte.
O Centro de Biotecnologia e Terapia Celular (CBTC) vem buscando desenvolver novos tratamentos que atuem não apenas sobre o parasita, mas também sobre o processo de inflamação e fibrose que ocorre no coração, prevenindo a perda da função cardíaca ou restaurando a função do coração por meio da aplicação de fármacos, fatores de crescimento e células-tronco. Dentro desta linha de pesquisas, o trabalho desenvolvido no CBTC, em parceria com a Fiocruz e o Hospital do Coração de Messejana – no Ceará, recebeu destaque em importante revista internacional de patologia: The American Journal of Pathology. De acordo com o coordenador médico do CBTC, Dr. Bruno Solano, este trabalho investigou de que modo a produção de galectina-3 (uma proteína que é produzida por células no contexto de inflamação, lesão e fibrose), está associada à doença de Chagas. “Demonstramos neste estudo que a galectina-3 está produzida em excesso no coração que tem a Doença de Chagas e isto se correlaciona com inflamação e fibrose no coração. Evidenciando ainda que, quando bloqueamos a galectina-3, impedindo sua função, a fibrose e inflamação no coração são reduzidas, melhorando o quadro clínico”, destacou Dr. Bruno, que acredita que os resultados obtidos são importantes para o desenvolvimento de novos tratamentos para a Doença de Chagas, que é uma enfermidade negligenciada, atualmente contando com opções terapêuticas muito limitadas. “Estes são resultados de estudos experimentais de laboratório, de pesquisa básica, em culturas de células e em animais. No entanto, analisamos também amostras de coração de pacientes com doença de Chagas que passaram por transplante cardíaco e notamos que também em humanos ocorre a presença da galectina-3 no tecido cardíaco, indicando que este pode ser um importante alvo para desenvolvimento de novas terapias para Doença de Chagas”, avaliou o coordenador médico.