Central de Marcação: (71) 3409-8000
Parceria do HSR com a APAE promove a inclusão de jovens ao mercado de trabalho

Parceria do HSR com a APAE promove a inclusão de jovens ao mercado de trabalho

Conquistar o primeiro emprego, para todo e qualquer jovem, é sempre um sonho e um grande desafio. Agora, imagine o que dizem aqueles com deficiência? Sem dúvida, a resposta é que as adversidades são ainda maiores. E foi pensando em minimizar esses obstáculos que a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Salvador (APAE), que este ano completa 50 anos, por meio de seu Centro de Formação e Acompanhamento Profissional (CEFAP), decidiu por desenvolver o Programa de Emprego Apoiado, que consiste em preparar pessoas com deficiência intelectual à assumirem postos de trabalho, bem como as empresas, parceiras importantes no processo de inclusão, com o constante apoio da família.

Aqui, no HSR, o programa já está sendo praticado. A instituição contratou, no início deste ano, os primeiros colaboradores desse programa: Eva Vânia dos Prazeres, auxiliar administrativo – do Núcleo de Gestão de Pessoas (NGP), e Rosana Lemos, auxiliar de recepção – da Hospitalidade. Ambas, antes de serem contratadas, participaram do Programa de Educação Profissional desenvolvido pelo CEFAP, que é dividido em três etapas: Formação Básica, Qualificação Profissional e Colocação no Trabalho. “Acreditamos muito nos programas desenvolvidos pelo CEFAP. Por meio deles, da sensibilização de gestores e colaboradores das empresas parceiras e de eventos em que familiares dos aprendizes participam, as barreiras sociais que se estabelecem em relação à pessoa com deficiência são extintas e uma percepção mais abrangente sobre o mundo delas é construída”, declarou Camila Lima, gerente do CEFAP.

Mensalmente, a equipe técnica do CEFAP visita as empresas parceiras para acompanhamento do desenvolvimento dos jovens, bem como para ajustes, quando necessário. Também, a APAE realiza, trimestralmente, palestras de sensibilização para as equipes que trabalham com esses colaboradores. “O Programa tem sido um sucesso e acreditamos na inserção e formação dos jovens profissionais”, pontuou a gerente de RH, Vanessa Santiago.

 

Sua Saúde: Acidentes com perfurocortantes e material biológico

Sua Saúde: Acidentes com perfurocortantes e material biológico

Acidentes com instrumentos perfurocortantes e material biológico são os acidentes de trabalho mais comuns envolvendo profissionais e estudantes em ambiente hospitalar.  O risco de o indivíduo acidentado adquirir uma infecção, por meio dessas exposições, depende de diversos fatores, como: extensão da lesão, volume e tipo de fluído biológico, condições de saúde do acidentado, características dos micro-organismos presentes e condições clínicas do paciente fonte, bem como das condutas realizadas após a exposição.

O Vírus da Imunodeficiência Humana e das Hepatites B e C são os agentes infecciosos mais comumente envolvidos. Tendo em vista o grande número de casos de Sífilis e de portadores do vírus da HTLV na nossa população, a Saúde do Trabalhador do HSR incluiu a pesquisa desses agentes infeciosos na avaliação pós-acidente. O risco de infecção pelo HIV, em situações de exposição ao sangue, varia de 0,3% a 0,09% (ou seja, três pessoas contaminadas no grupo de 1000 expostos a nove pessoas no grupo de 10.000 expostos) a depender da forma de exposição. Já para Hepatites B e C, esse risco é muito maior, podendo atingir 40% e 10%, respectivamente.

Considerando que os acidentes de trabalho com sangue e outros fluidos, potencialmente contaminados, devem ser tratados como emergência médica, uma vez que, para se obter maior eficácia, as intervenções para profilaxia da infecção pelo HIV e hepatite B necessitam ser iniciadas logo após a ocorrência do acidente, a Saúde do Trabalhador do HSR estará implantando um novo fluxo de  atendimento aos acidentes perfurocortantes a partir de 1º de agosto de 2018, no qual o colaborador acidentado passará a ser atendido na emergência do HSR e terá seu atendimento classificado como laranja, garantindo, cada vez mais, um atendimento imediato. No entanto, antes de ir para a emergência, o acidentado deve lavar o local atingido imediatamente com água e sabão abundante se a exposição for cutânea ou percutânea, e lavar com solução fisiológica 0,9% ou com água abundante se exposição de mucosas (boca e olho). Não deve utilizar soluções irritantes como éter, hipoclorito ou glutaraldeído. Em seguida, comunicar o evento imediatamente ao responsável pela unidade que lhe encaminhará para continuidade dos cuidados.

É importante ressaltar que as profilaxias pós-exposição não são totalmente eficazes e que a Hepatite C e o HTLV não possuem profilaxia. Assim, o comportamento prevencionista, ou seja, seguimento das normas de biossegurança, é a medida mais eficaz para evitar a transmissão de doenças. Nessas situações, as medidas de biossegurança envolvem uso de EPIS; luvas ao manipular materiais ou equipamentos contaminados com fluídos biológico, óculos de proteção e máscara ao realizar procedimentos com risco de respingo; estar imunizado para hepatite B, realizar o descarte de material perfurocortante no recipiente adequado e lavar as mãos antes e após cada procedimento. Vale lembrar que o trabalhador que faz uso de material perfurocortante é responsável pelo seu descarte e que é proibido o reencape de agulhas e a desconexão manual de agulhas.

Você não precisa fazer parte desses números. Faça uso do seu EPI, mantenha seu cartão vacinal em dia e lembre-se: ao fazer o descarte correto, você estará cuidando de você e do próximo.

Profissionais do HSR participam de treinamento para certificação Selo Angels

Profissionais do HSR participam de treinamento para certificação Selo Angels

O treinamento ministrado na Unidade de Emergência Adulto do HSR, pela enfermeira do Laboratório Boehringer, Pâmela Godoy | Foto: Divulgação Ascom – HSR

 

Cada vez mais, o São Rafael está buscando se tornar referência, também, no tratamento do Acidente Vascular Cerebral (AVC). Depois de preparar um filme para divulgar o protocolo de AVC, visualizado em diversos estados do Brasil e até em outros países, a instituição está se preparando agora para obter o certificado do Programa Angels do Laboratório Boehringer, empresa que lidera o segmento de tratamento para o AVC.

 

Para obter a certificação, o HSR precisará cumprir algumas etapas e a primeira já foi concluída. Entre os dias 5 e 7 de junho, os auxiliares de unidade, assistentes e líderes de atendimento, médicos, enfermeiros e técnicos em Enfermagem das mais diversas áreas participaram do treinamento ministrado pela enfermeira da Boehringer, Pâmela Godoy. No total, 237 colaboradores foram treinados ao longo dos três dias. Antes de iniciar a aula, Pâmela aplicou um teste de conhecimento sobre o assunto e, após o treinamento, foi percebida uma melhora do desempenho, mostrando, mais uma vez, que o HSR está empenhado no combate contra o AVC.

Monte Tabor inaugura nova sede administrativa

Monte Tabor inaugura nova sede administrativa

Entrada da sede administrativa do Monte Tabor | Foto: Divulgação Ascom – HSR

 

Na história do Monte Tabor, é tradição marcar a inauguração de suas unidades ou serviços sempre pensando em datas que façam lembranças ao fundador D. Luigi Verzé. E para continuar fazendo memória, a nova Sede do Monte Tabor foi, oficialmente, inaugurada e abençoada no dia do onomástico de D. Luigi, Dia de São Luigi Gonzaga – 21 de junho.

 

Ao lado do Padre Bento Viana (à direita), grupo de colaboradores que vão trabalhar na sede administrativa | Foto: Divulgação Ascom – HSR

 

A celebração ficou marcada pelo reconhecimento e gratidão de quantos colaboraram para a edificação desta Obra e se sentem parte da mesma, assim como por aqueles que, junto com D. Laura Ziller, viverão o recomeço de uma instituição guiada pela missão do “Ide, Ensinai e Curai”. “Sei que contaremos também com a colaboração, naturalmente, daqueles que já estão na sede, mas, sobretudo, dos Sigilli e das competências individuais de quantos no São Rafael nos acompanham e aconselham. O Monte Tabor continuará com a missão de hoje, agregando o Hospital Ana Mariani, o CTDV, a Creche Amor ao Próximo, a Escola Técnica em Enfermagem e a Missão Barra. Esse é o novo começo, mas temos sempre que olhar para o futuro e as futuras expansões dos projetos que já temos”, enfatizou D. Laura. Na oportunidade, colaboradores presentes deixaram palavras de fé e, principalmente, de agradecimento pelo exemplo de perseverança. “A gente vive aqui uma experiência linda, que a senhora, D. Laura, nos oferece de reconhecimento do ciclo da vida, de começo e recomeço, e D. Luigi sempre falava que isso é uma oportunidade de aprimoramento contínuo. Em nome da equipe assistencial, tenho certeza de que todos compartilham comigo, a gente quer se solidarizar, se colocar à disposição do Monte Tabor e da missão do “Ide, Ensinai e Curai” e fazer com que esse renascimento, “no lugar mãe”, nos faça poder se aprimorar junto com essa Obra que recomeça. Então, muito obrigada por essa oportunidade que a gente está vivendo aqui hoje. Acho que é o ciclo da vida, do DNA em espiral que a gente vive em contínuo aprimoramento, esse organismo vivo”, declarou a gerente médica do HSR, Dra. Ana Verena. Na sequência, o capelão do HSR, Pe. Bento Viana, abençoou as instalações e, no seu discurso, lembrou do compromisso dos Sigilli. “É uma benção de Deus que nós estejamos aqui e, por isso, agradecemos a Ele por esse novo início e pelas presenças inestimáveis de D. Laura, Dra. Liliana Ronzoni, enfermeira Lúcia Ferreira, Dioney e, também, a minha pessoa, que lutam com todas as forças para levar adiante esta missão que nós recebemos de Deus, por meio de D. Luigi, e que nós, então, nos sentimos responsáveis por dar continuidade”.

Primeiro TAVI com a prótese Sapien 3 de menor tamanho é realizado no HSR

Primeiro TAVI com a prótese Sapien 3 de menor tamanho é realizado no HSR

O Implante por Cateter de Bioprótese Valvar Aórtica – conhecido por TAVI, transcatheter aortic valve implantation –, é uma modalidade de tratamento para doença estenótica da valva cardíaca aórtica, destinada, sobretudo, aos pacientes idosos com elevado risco cirúrgico, por ser menos invasiva e se associar a menor morbidade em comparação à cirurgia cardíaca (tratamento padrão).

No HSR, isso já é uma realidade, desde 2016. Porém, no último dia 21, a instituição escreveu mais um capítulo do seu pioneirismo. Nesta data, foi implantada, pela primeira vez no Brasil e na América Latina, uma prótese Sapien 3 de menor tamanho (20mm). “Esse tamanho menor da prótese chegou ao Brasil recentemente, o que poderá beneficiar pacientes com estenose aórtica grave e ânulos aórticos menores. O tamanho e o tipo da prótese a ser utilizada dependem das características anatômicas de cada paciente, as quais são previamente avaliadas por angiotomografia dedicada, também realizada no Hospital São Rafael. A prótese pode ser autoexpansível (ex: Evolut R – Medtronic) ou balão-expansível (ex: Edwards – Sapien 3)”, explicou Dr. Cristiano Guedes, cardiologista intervencionista do HSR, que realizou o procedimento juntamente com os médicos cardiologistas intervencionistas do HSR e do Hospital Sírio-Libanês, Dr. Carlos Vinícius Espírito Santo e Dr. Henrique Ribeiro, respectivamente, Dr. Macius Pontes, anestesiologista do HSR, Dra. Carolina Esteves, Ecocardiografista do HSR, e equipe de Enfermagem da Hemodinâmica do HSR, representada pelo Enf. Hiram Scala.

 

O implante foi um sucesso. O paciente, de 93 anos, apresentou boa evolução após o procedimento, recebendo alta da UTI em 24 horas e alta hospitalar em 72 horas. De acordo com a avaliação multidisciplinar, o paciente foi considerado de alto risco para o tratamento cirúrgico convencional, sendo por isso indicado o implante transcateter de bioprótese aórtica, realizado com anestesia local e sedação, ecocardiograma transtorácico e fechamento dos acessos vasculares com dispositivos hemostáticos percutâneos. “Esse é o terceiro procedimento TAVI realizado este ano, sendo adotada em todos uma estratégia menos invasiva, com sedação consciente e individualização do cuidado pós-operatório para rápida recuperação e alta hospitalar precoce. Entendemos que a interação e trabalho em equipe são fundamentais para o sucesso de procedimentos de alta complexidade, como o TAVI. Portanto, agradecemos às equipes da Cardiologia Clínica e Intervencionista (coordenadas pela Dra. Márcia Noya), Cirurgia Cardíaca, Anestesiologia, Radiologia, Ecocardiografia, Unidade de Terapia Intensiva, Fisioterapia e Enfermagem envolvidas nesses procedimentos”, finalizou o Dr. Cristiano.

 

UTI Neurológica: dois anos de funcionamento

UTI Neurológica: dois anos de funcionamento

Maio de 2018. Apenas 2 anos da UTI Neuro e muitos eventos para recordar. Somente nesse período, já foram atendidos 994 pacientes, dentre eles 219 com Acidente Vascular Cerebral (AVC) e diversas outras patologias, como crises convulsivas, meningites e pós-operatórios de Neurocirurgias.

Em 2016, como marco da inauguração, foi realizada a I Jornada de Neurointensivismo da Bahia, com mais de 100 inscritos. Ainda, a instituição produziu um vídeo de treinamento para divulgar o passo a passo do protocolo de AVC, o qual já teve mais de 1300 visualizações em diversos estados do Brasil e até em outros países. Agora, para marcar os dois anos, a UTI Neuro vai trazer em agosto para o HSR o Emergency Neurological Life Support – curso de emergências neurológicas da Neurocritical Care Society. Além desta novidade, a unidade vai oferecer um mês em Neurointensivismo, aberto para os profissionais cadastrados nos diversos serviços de residência médica do país.

Por esses e tantos outros motivos, a unidade é avaliada pelos pacientes e acompanhantes como excelente no atendimento, resultado demonstrado pelo NPS – Net Promoter Score, métrica que tem como objetivo medir a satisfação dos manifestantes. Parabéns!